Publicado emCrónica

O taxista nasceu aqui

Há uns tempos, entrei num táxi para meia Lisboa rumo a Alcântara e mal me sentei apercebi-me da terceira presença. Não era o ambientador nem o terço pendente, era o taxista – ele inteiro – habitado pelo espírito dos taxistas, o espírito de ora isto muito bem, ora isto muito mal. O homem, não mais […]