Maria do Rosário Pedreira

Nasceu em Lisboa e nunca pensou viver noutra cidade. É editora, tendo-se especializado na descoberta de novos autores portugueses. Escreve poesia, ficção, crónica e literatura infanto-juvenil, estando traduzida em várias línguas. Tem um blogue sobre livros e edição e é letrista de fado.


Lisboa troca-tintas

A minha mãe, que nasceu em 1924, conta que, na sua juventude, a Avenida de Roma não passava de um descampado agreste com um palacete ao fundo (o Júlio de Matos) e que algumas das suas amigas que então frequentavam o Liceu D. Filipa de Lencastre tinham de atravessar verdadeiros campos e hortas para ir…

Tanto barulho para nada

Há muitos anos, era eu miúda, fui convidada para a festa de anos de uma colega numa moradia não muito longe do lugar onde hoje se realiza o Rock in Rio. Nesse tempo, os aviões que aterravam no Aeroporto da Portela passavam mesmo por cima dessa casa com um ruído tão insuportável que nos obrigava…

Levantar o véu

“Duas mães e duas filhas vão à missa com três mantilhas.” Quando éramos pequenos, a minha avó gostava de nos lançar este enigma para, diante da nossa perplexidade, esclarecer que se tratava de uma avó, uma mãe e uma filha (a mãe era mãe e filha ao mesmo tempo) e que, por isso, três mantilhas…