Veio para Lisboa estudar Literatura em 2012. Daqui só saiu para o Brasil, onde, à portuguesa, teve saudades dia e noite. Regressada, escreveu Lisboa, chão sagrado e a cidade foi a diva onde se perderam personagens. Anos depois, numa casa em Benfica, foi ao Médio Oriente e escreveu Palavra do Senhor. Para os de cá, tem sotaque minhoto; para os de lá, engravatado.


De quem é este país

Numa crónica um pouco diferente, Ana Bárbara Pedrosa analisa a direita política através da empatia, ferramenta básica de uma escritora e sem a qual a política se torna feia.

Carregando…

Something went wrong. Please refresh the page and/or try again.