É escritora. No seu primeiro romance, descreve a plumagem do Passeio Público e, no segundo, as saudades dos que partiram do Cais das Colunas. Os cafés de Lisboa são escritórios convenientes e o rio o repouso dos olhos. 


Romance de Feira Popular

O meu primeiro encontro com o Fernando foi na antiga Feira Popular. Ele parecia uma criança agarrado ao pau do algodão doce e baixou os olhos quando o meu pai encostou o velho Ford para eu me apear. O Fernando encarava de peito cheio o esqueleto do comboio fantasma e gozava o prato com o […]

O amante vem à cidade

D.H.Lawrence deitou Lady Chatterley nos prados de Wragby com o amante; Eça escavou a Toca de Carlos da Maia e Maria Eduarda na Quinta dos Olivais, onde se chegava pacientemente de charrete para desagravos rústicos, antes de a 2ª Circular aterraplenar as hortas de Telheiras. O campo como cenário perfeito para a infidelidade, as ramagens […]

A minha avó é beirã, mas na morada é lisboeta: 1300 Lisboa

Aprendemos a escrever ao mesmo tempo, quase ao mesmo tempo. Ela pediu-me para lhe ensinar as letras e desenhava-as numa linha sinuosa. Queria assinar no bilhete de identidade e conseguiu. Maria do Carmo, letra redonda a sorrir como uma gaiata. Mas não se ficou por aqui. Ainda haveria de aprender a escrever a morada. A […]

Carregando…

Something went wrong. Please refresh the page and/or try again.