Publicado emCidade

Vivem como imigrantes ilegais no país onde nasceram, Portugal. “Mandaram-me para Angola, mas eu não conheço aquele país, nunca saí daqui”

Quando uma equipa da Comissão Europeia visitou, pela primeira vez, a Cova da Moura, ninguém esperava sair dali com aquela informação, que daria uma nova forma à perceção de privilégio. Era setembro, o Dia Europeu das Línguas estava perto e a União Europeia lançara a alguns jovens músicos deste bairro da Amadora o desafio de […]