Publicado emCrónica

A Mensagem de Pessoa

A minha professora de Português na escola secundária, em Carnide, costumava dizer-nos, quando nos sentia preguiçosos e indolentes, para não sermos umas “bestas sadias, cadáveres adiados que procriam”. Imaginem a estranheza do conselho para uns adolescentes. Ríamo-nos, incertos do significado, como nos riríamos de tudo o que envolvesse referências laterais a “procriação” ou professores a […]