Nasceu em Lisboa e nunca pensou viver noutra cidade. É editora, tendo-se especializado na descoberta de novos autores portugueses. Escreve poesia, ficção, crónica e literatura infanto-juvenil, estando traduzida em várias línguas. Tem um blogue sobre livros e edição e é letrista de fado. 


Tempos difíceis

Concluo que já devo ser muito velha quando descubro que passei a infância numa Lisboa onde as lavadeiras ainda iam buscar a roupa branca às casas das famílias grandes (os tanques não chegavam para tanto lençol), o soalho era encerado de joelhos, havia portas principais e portas de serviço, os andares tinham quartos contíguos à…

Gentis porteiros

Num dos mais belos poemas de amor da língua portuguesa, Mário Cesariny escreve sobre dois amantes que andam a pé pela cidade sem serem vistos por ninguém, “excepto, claro, pelos porteiros”. “É da natureza das coisas ser-se visto pelos porteiros”, acrescenta. Mesmo que isso não mude nada na leitura de De Profundis Amamus, quase apostaria…

Outros Natais

Quando eu era pequena, no princípio de Dezembro, a minha mãe pedia-nos que escrevêssemos uma carta ao Menino Jesus (nesse tempo, não se falava em Pai Natal) com os presentes que gostaríamos de receber. Lembro-me de estar com um dos meus irmãos na sala e de a minha avó estar a ajudar-nos com a redacção:…