Oficina das bicicletas Gira. Foto: Orlando Almeida

Receba a nossa newsletter com as histórias de Lisboa 🙂

Desde domingo, e especialmente durante esta segunda-feira, com o início da semana de trabalho, de entre os 22 mil utilizadores das bicicletas partilhadas Gira, milhares ficaram sem acesso à rede de velocípedes. A perturbação no funcionamento do sistema atingiu todos os utilizadores com telemóveis com sistema operativo Android. Para os utilizadores com sistema operativo iOS, a utilização do sistema não sofreu quaisquer perturbações.

A causa, diz à Mensagem a EMEL, foi a demora, “por parte da Google”, na validação e publicação de uma atualização à aplicação. “Assim que a Google resolver a questão, o funcionamento da aplicação móvel para dispositivos Android fica operacional”, diz a empresa municipal de mobilidade de Lisboa.

Enquanto a atualização não é disponibilizada pela loja oficial da Google, a EMEL encontrou uma solução provisória, já em funcionamento. De modo a poder aceder às bicicletas da rede Gira, a empresa possibilitou o download da atualização diretamente através do seu site. A solução temporária permite ultrapassar o bloqueio registado nos últimos dois dias, voltando a ser possível, aos utilizadores com sistema operativo Android, fazer viagens de bicicleta na rede.

Recorde-se que no passado dia 25 de fevereiro, a rede de bicicletas públicas de Lisboa registou o seu recorde diário de utilização, com a realização de mais de 10 mil viagens. Com 116 estações em funcionamento pela cidade, a rede Gira conta, atualmente, com cerca de mil bicicletas.

*ATUALIZAÇÃO 07.04.2022 – 11h55

A versão mais recente da aplicação, que permite utilizar a rede Gira em telemóveis com sistema operativo Android, já se encontra disponível na loja de aplicações móveis da Google, pelo que o funcionamento do sistema de bicicletas partilhadas de Lisboa decorre, agora, sem perturbações.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.